Seguidores

sábado, 16 de junho de 2012

Manicômio fashion


Danuza Leão escreve:
Cerca de 30 manequins, cada uma pesando entre 30 e 35 quilos, pisaram na grama vestidas lindamente
A loucura fashion continua. Depois de andar uns 30 quilômetros no Ibirapuera, num calor do Saara, enfim chegamos ao lugar escolhido para o desfile da Neon.


Um gramado com uma árvore enorme no centro, um misto de Hyde Park (tropical) e savana, com cadeiras de vime fazendo a roda. Chiquérrimo.
E o público -ah, o público de moda é mesmo especial. Havia pessoas com cabelo verde, bocas pintadas de azul-marinho, vestidos de renda, brilhos, jeans rasgados, jaquetas de couro douradas, unhas pintadas, uma de cada cor.


Conheci também um menino que resolveu virar menina e outros que estão pensando seriamente no assunto. O desfile começou pouco depois da chegada de Costanza -Pascolato, é claro.


E foi lindo: cerca de 30 manequins, cada uma pesando entre 30 e 35 quilos, pisaram na grama vestidas lindamente, com espadrilles sem salto ou descalças. As negras eram sublimes.


Quando se diz negras, se pensa em mulheronas, tipo Grace Jones; mas quando elas são esbeltas, delicadas e parecem estatuetas gregas de Tanagra, só que negras, dá para dizer negrinhas, ou será incorreto?


Penso que, se é o diminutivo de negra, tem que poder. Então, como eu dizia, quando entrou a negrinha mais linda de todas, com um maiô dourado brilhando feito um sol, foi um momento mágico. As pessoas se levantaram para aplaudir e algumas nem esconderam a emoção.


Voltei de carona com várias das meninas que desfilaram; contaram que comem muito, sempre, e não conseguem engordar. Elas não parecem gente -será que são?

De Danuza Leão na Folha de São Paulo de 16/06/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário