Seguidores

domingo, 4 de outubro de 2009

Plantas tóxicas são perigo para crianças

Veja lista de dez plantas que podem causar intoxicação

Comigo-ninguém-pode é a que registra mais casos de intoxicação.
Segundo estudo, crianças são as principais vítimas.

Tamanho da letra A- A+

Plantas usadas como ornamentais podem ser perigosas (Foto: Divulgação/CIT RS)

Azaléias, copos-de-leite, alamandas. É muito comum encontrar estas flores enfeitando casas. O que muita gente não sabe é que, embora bonitas, elas são tóxicas.


Foram quase dois mil casos de intoxicação em todo o país em 2007, segundo os dados do Sistema Nacional de Informações Toxico Farmacológicas (Sinitox). A planta mais traiçoeira é o comigo-ninguém-pode.


Rosany Bochner, responsável pelas estatísticas do Sinitox, afirmou ao
G1 que um levantamento feito no Rio Grande do Sul, também em 2007, apontou que dos 384 casos de intoxicação causados por plantas, 109 foram causados pelo comigo-ninguém-pode.


Rosany explica que a planta é famosa por "espantar o mau-olhado" e por isso é tão comum nas casas. A forma de intoxicação mais comum é através da seiva da planta, que pode entrar em contato com a pele durante da poda.

Saiba as dez plantas que causam mais casos de intoxicação, segundo estudo do Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul (CIT/RS):

1º Comigo-Ninguém-Pode (109 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

Comuns nas casas pela crendice popular de espantar o mau-olhado. Todas as partes da planta podem causar intoxicação pelo toque ou ingestão.

Os sintomas mais comuns são sensação de queimação na pele, inchaço nos lábios, boca e língua, vômitos, enjôo, diarréia, asfixia.

Quando entra em contato com os olhos, pode causar irritação e lesão da córnea.

2º Coroa-de-Cristo (26 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

Muito encontrada nos cercados das casas por ter espinhos.

A intoxicação acontece quando tocada em qualquer parte ou pela seiva.

Os sintomas da intoxicação são distúrbios gastrointestinais, salivação em excesso, vômitos e queimaduras.
3º Costela-de-Adão (22 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

Freqüentemente usada com fins ornamentais.

A intoxicação acontece com a mastigação e ingestão das folhas.

A mastigação e ingestão das folhas podem causar irritação de mucosas, inchaço de lábios e garganta, náuseas e vômitos.
4º Avelós (15 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

A Avelós é um arbusto que pode chegar aos 5 metros de altura.

O que causa intoxicação é o látex em contato com a pele ou quando ingerido.

Quando a vítima ingere o ramo da avelós, o principal sintoma é a irritação gastrointestinal.

Já o contato com a pele causa queimaduras e inflamações.

5º Mamona (15 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

É a semente da mamona que causa a intoxicação.

A bióloga do CIT/RS, Maria Gorete Rossoni, afirma que a forma mais comum de intoxicação é pela ingestão, mas não é a única. “Também pode acontecer a intoxicação em laboratórios de extração do óleo da mamona, no contato pela pele ou ao respirar o vapor”, contou a bióloga ao G1.

Os sintomas mais típicos da ingestão da semente da mamona são vômitos e diarréia.

Alguns casos mais graves podem levar à morte. Maria Gorete explica que uma proteína da semente pode causar uma diarréia muito forte, desidratando a vítima.

6º Aroeira-Brava (13 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

A seiva da aroeira-brava possui princípios alérgicos.

A árvore pode chegar a sete metros.

Todas as partes podem causar efeitos alérgicos com o contato.

O contato provoca reações alérgicas na pele, como bolhas, vermelhidão e coceira.

A ingestão pode causar manifestações gastrointestinais.

7º Pinhão de Purga (12 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

O que causa a intoxicação são as sementes do fruto desta árvore.

A ingestão e, principalmente a mastigação, fazem os sintomas se manifestarem rapidamente.

Os sintomas mais comuns são dor abdominal intensa, vômitos, diarréia.

O contato do látex com a pele causa dermatite.

8º Cinamomo (9 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

Muito utilizada na arborização urbana.

Os frutos produzem espuma quando misturados na água.

São estes frutos que causam intoxicação quando ingeridos.

A ingestão causa aumento de salivação, náuseas, vômitos e diarréia.
9º Copo de Leite (7 casos) Características Sintomas

(Foto: Divulgação/CIT RS)

Muito utilizada para enfeitar ambientes.

Qualquer parte da planta pode causar intoxicação.

A ingestão de partes da planta causa irritação das mucosas, com dor e queimação.

O contato com os olhos pode provocar irritação.

10º Leiteiro Vermelho (5 casos) Características Sintomas

(Foto:Divulgação/CIT RS)

Arbusto com folhas coloridas de vermelho escuro.

O que causa intoxicação é o látex.

O contato do látex com a pele, pode causar queimaduras.

A ingestão de qualquer parte da planta pode ocasionar irritação gastrintestinal.

As mais perigosas


A bióloga Maria Gorete Rossoni informou ao
G1 que as plantas tóxicas mais perigosas são a espirradeira, a mandioca-brava e o chapéu-de-napoleão. A ingestão delas pode causar distúrbios cardíacos e levar à morte.


A espirradeira é uma árvore que pode chegar a 4 metros de altura e tem flores brancas e rosas, que assim como as outras partes, também são tóxicas. O chapéu-de-napoleão também é uma árvore e dela nascem flores amarelas. A ingestão das sementes do fruto causa problemas cardíacos que podem levar à morte.


A mandioca-brava é um arbusto que cresce até 2 metros. As raízes são utilizadas como alimento. Abaixo da casca do caule existe um látex tóxico, que pode causar fortes dores abdominais e coma.

Crianças


Dos 1.664 casos registrados pelo Sinitox, as crianças entre 1 e 4 anos correspondem a 676 casos.

Não é à toa que as crianças são as maiores vítimas de intoxicação por plantas. Para a bióloga Maria Gorete, as crianças são as mais afetadas porque não sabem diferenciá-las. "A maioria dos arbustos venenosos é usada em decoração. Por esse motivo, são tão freqüentes em casas e jardins, o que aumenta o perigo de intoxicação em crianças", afirma. De acordo com dados do CIT/RS, mais de 80% dos casos de intoxicação são sofridos por crianças de 2 a 9 anos.

Como se prevenir e o que fazer


A primeira medida que o Sinitox recomenda é que as plantas venenosas sejam deixadas fora do alcance das crianças. Também é importante não incentivar que as crianças brinquem com plantas, seja qual for. Em caso de dúvida se a planta possui alguma substância tóxica, ela pode ser levada aos CIT dos estados para a avaliação.


O órgão também desaconselha que se preparem chás com plantas sem orientação médica. Utilizar folhas e raízes desconhecidas como alimento também deve ser evitado. Nem sempre o cozimento elimina a toxicidade da planta.


Para evitar que a seiva das plantas tóxicas entrem em contato com a pela, é recomendado lavar bem as mãos após a jardinagem. Além disso, a bióloga Maria Gorete avisa que, sempre que possível, sejam utilizadas luvas para o manuseio de plantas. "Caso a pessoa já tenha ingerido o arbusto, é preciso levar a pessoa imediatamente para um pronto-socorro, e, se possível, com uma parte da planta ingerida para que os médicos possam identificá-la e fazer o tratamento adequado", explica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário