Seguidores

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Filhas Mulheres...Ou educamos nossas filhas para a liberdade, pela instrução e pelo trabalho, ou elas vão continuar vestindo rosa e chorando quando el


Vou reproduzir trechos de artigos de jornais que tenho recolhido das minhas leituras de todos os dias, trechos escaldantes, sinalizadores de uma sociedade doente, onde as mulheres são as vítimas mais imediatas.


Primeiro trecho:


Uma jovem no afeganistão estava a caminho da escola quando um grupo de homens jogou-lhe ácido no rosto, causando-lhe danos permanentes à visão, só porque se opunha à sua busca por instrução. A tentativa de aterrorizar a moça e sua família fracassou.
— Meus pais disseram para eu continuar na escola, ainda que possa ser morta — disse a garota.


A estupidez faz isso mesmo, vítimas. Há homens que não admitem a independência da mulher, uma independência que tem me levado à rouquidão nas minhas palestras com elas. Vivo dizendo que a mulher só pode ser livre se for instruída e trabalhar para e por si mesma, isto é, ganhar o seu próprio dinheiro. Foi-se o tempo em que o “vovô”, mais das vezes um bronco, mandava em tudo, e no que mais mandava era na barriga da mulher, fazendo-a parir enquanto pudesse durante a vida... As mulheres mais antigas lembram bem disso.


Outro trecho de jornal, este de São Paulo:


Maioria dos estudantes — homens — da Universidade de São Paulo acha que mulher não deve trabalhar fora...


Claro, os inseguros não se garantem, sabem que a mulher saindo para o trabalho vira foco de interesse de muitos outros homens... Então, que suas mulherzinhas fiquem em casa. E depois de algum tempo, ou nem tanto, sejam chutadas por eles e fiquem na amargura de não ter estudo nem especialização para o trabalho.


Aqui vai mais um trecho de leitura de jornal que recolhi, artigo de uma advogada:


Os homens se consideram tão importantes e superiores que não admitem que uma mulher possa dispensá-los... A educação familiar e social das crianças ainda é no sentido de afagar o ego masculino, aceitando suas fraquezas e explosões violentas, e de convencer as meninas a serem “princesinhas”. Além dos maridos, os namorados também se julgam os senhores absolutos das parceiras.


Chega? Tem mais. Mais uma manchete:


Independência das mulheres faz aumentar os divórcios


Mas não pense, leitora, leitor, que é a mulher que ao se tornar independente manda o marido passear, nada disso. Eles, mais das vezes, é que não se sentem bem com mulheres que têm dinheiro na bolsa e altivez para dizer-lhes não...
Ou educamos nossas filhas para a liberdade, pela instrução e pelo trabalho, ou elas vão continuar vestindo rosa e chorando quando eles dão o bolo...



Nenhum comentário:

Postar um comentário