Seguidores

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Por que as mulheres aceitam melhor a terceira idade do que os homens?

Acostumadas com as responsabilidades domésticas, a maioria delas continua ativa e independente após os 60 anos. Eles também precisam buscar novas atividades depois da aposentadoria.



“A sociedade exige que a mulher se divida entre o trabalho, as obrigações com a casa e o cuidado com os filhos. Assim, ela se torna mais plural. Por outro lado, o homem se ocupa somente com o trabalho. A aposentadoria faz com que ele perca sua função social, caia no sedentarismo e fique mais sujeito à depressão. É preciso que ele descubra o lar e encontre o seu espaço", explica a pesquisadora Dália Romero, da Fiocruz.



Serão mais de 30 milhões de brasileiros com mais de 60 anos em 2020. Todas essas pessoas precisam ter atividades sociais para manter uma boa qualidade de vida. Percebe-se facilmente que as mulheres têm uma melhor adaptação quando chegam à terceira idade do que os homens. Basta analisarmos os ‘grupos de idosos’, turmas de amigos da terceira idade ligados a alguma religião ou não, que se reúnem regularmente para festas, cafés e viagens. Nestes grupos, a grande maioria é constiuída de mulheres, que deixam seus maridos em casa, outras que deixam a tristeza e o estigma da perda do companheiro para se divertirem em meio a pessoas na mesma situação.

Há várias explicações para a predominância de mulheres na terceira idade que continuam com atividades sociais. Uma delas é demográfica, devido à expectativa de vida superior à dos homens, há mais mulheres na terceira idade. Outro motivo é que as mulheres da geração passada se dedicavam exclusivamente aos cuidados da casa e dos filhos, por isso chegam à terceira idade com vontade de fazer tudo o que não puderam.

O homem reluta mais em procurar ajuda médica, não admite, muitas vezes, suas deficiências, ou o próprio processo de envelhecimento. Um estudo feito pela pesquisadora Dália Romero, do Centro de Informação Científica e Tecnológica (Cict), uma unidade da Fiocruz, comprova a teoria de que os homens e as mulheres envelhecem de formas diferentes. Dália traçou um perfil do processo de envelhecimento da população brasileira:

◊ Os homens vivem menos que as mulheres → indicadores revelam que as brasileiras vivem em média 75 anos, enquanto seus parceiros vivem somente 67 anos.

◊ Eles procuram menos os serviços de saúde → a pesquisa mostra que 62,3% das mulheres consultaram algum médico nas duas últimas semanas, já os homens, somente 46,7% tiveram a mesma iniciativa.

◊ Enfrentam mais dificuldades do que as mulheres quando chegam à terceira idade →estudo feito em Fortaleza com pessoas acima de 65 anos mostra que 55% dos homens dependem de outras pessoas para cuidar da casa e preparar a alimentação, enquanto 90% das mulheres nessa faixa etária participam das atividades domésticas.






Fonte: Fiocruz e Folha de S. Paulo. Autor: Vivian Beltrame Awad Rosa .

Nenhum comentário:

Postar um comentário