Seguidores

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Brasília cafetina e suas meninas prostitutas


Rita, 9, não sabe: ela está se transformando em chiclete

Quer chiclete, moço? Três real.

- Não. Quero outra coisa.

Rita, de 9 anos, sabe a que o homem se refere: ele quer sexo oral e umas pegadinhas nas partes íntimas dela. Ele é um safado, como tantos outros. Diz que tem religião, mas não é praticante. Tem namorada ou mulher e, se nesse caso, provavelmente é pai de um filho ou filha com um pouco mais de idade do que a vendedora de chiclete.

A menina faz rapidamente o que o sacana quer em um canto da rua ou dentro do carro dele. Ela, afinal, precisa levar dinheiro para casa e, se depender só do chiclete, terá de vender três caixas para juntar R$ 30. Não é fácil.



















Rita, claro, não se dá conta de que ela própria está se transformando em um chiclete: é usada por R$ 3 reais (ela também aceita vale-transporte). Está sendo encaminhada para fazer carreira como goma de mascar e de cuspir, como prostituta.
Rita mora em Planaltina de Goiás (GO), informa Erika Klingl, do Correio Braziliense. Ela estuda e falta pouco à escola por causa da merenda.
Na sexta feira, depois de um banho bem tomado, ela coloca uma roupinha colorida, pega um ônibus e segue rumo a Brasília, onde passa o final de semana, até a tarde de domingo, trabalhando na venda de balas e de chicletes na Rodoviária do Plano Piloto.
Lá, ela encontra colegas da mesma faixa de idade, também vendedoras de chicletes. Tem a Jaqueline, a Paula, a Lúcia, a Sonia... Algumas são acompanhadas por irmãos que ajudam no trabalho ou pelas mães, que ficam à distância. As meninas disputam a mesma freguesia, mas se dão bem. Quando dá, brincam.
À noite, dormem em algum canto da rodoviária, de preferência embaixo de uma marquise, mas, mesmo de madrugada, estão disponíveis para atender a clientela. Serviço 24h. Rita não reclama das noites precárias. Ela só não gosta quando chove e faz frio.
Não muito longe dali, estão as principais autoridades do Brasil: o presidente da República, o Lula, o presidente do Senado, o Garibaldi Alves, o da Câmara... Gente que se propõe a resolver os problemas do país, mas que desconheciam que Rita está se transformado em chiclete de safado até a publicação da reportagem.
Houve um senador que, da tribuna, disse que aquilo era absurdo. Ele exigiu medidas imediatas do governo etc, etc.
Além de ter bom discurso, esse senador é bem intencionado, já foi ministro da Educação, mas pouco ou nada conseguiu fazer. Foi demitido por telefone.
Sugiro que o jornal volte à rodoviária daqui a alguns meses para ao menos saber se Rita aumentou o preço do chiclete.

Texto de Paulo Roberto Lopes 
http://e-paulopes.blogspot.com/2008/09/rita-9-no-sabe-ela-est-se-transformando.html

Leia também: Sexo com crianças é vendido a R$ 3 no coração de Brasília
http://amorordemeprogresso.blogspot.com/2008/09/sexo-com-crianas-vendido-r-3-no-corao.html



2 comentários:

  1. Cada dia que passa aumenta assustadoramente o número de crianças exploradoras neste país que nunca leva nada a sério.

    Parabéns pela transcrição.
    Estou esperando sua visita,

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Continua tudo como antes, ou talvez pior!

    ResponderExcluir