Seguidores

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Monstruosidade: os meninos esquartejados

O pai e a madrasta de dois garotos, de 12 e 13 anos, foram presos acusados de matá-los e esquartejá-los para tentar ocultar o crime. Os corpos das duas crianças foram encontrados em sacos de lixo em frente à casa da família, em Ribeirão Pires (Grande SP).
Notícia veiculada em toda imprensa nacional e pelo O Estado de São Paulo de 07/09/09


Sobre este assunto a Aiko escreveu

Falência do judiciário, da ação social e do AMOR
Infelizmente o caso aconteceu em minha cidade, não muito longe de minha casa.
Conheço pessoalmente a conselheira tutelar, como tbm conheço a juíza. Não conheço a psicóloga e não conheço o laudo.
Mas posso afirmar que a história dessas crianças, vida e a morte, é um tapa na cara de todos. É um tapa na cara da sociedade. A conselheira é conselheira porque foi empossada através de votação. Logo, a responsabilidade é tbm de quem votou.
Esse caso reflete a falência do nosso judiciário; a falência de nossa ação social e a falência do amor.
Essas crianças foram abandonadas por todos que tinham o dever e obrigação de protegê-los. Elas lutaram até o fim, e por fim o desamor, o descaso e hipocrisia venceram.
Acho que esse caso deveria ter tanto espaço na mídia como teve o caso Isabela. Hoje, passados pouco tempo, quase nenhum jornal ou televisão falam mais sobre isso, e daquia poquiíssimo tempo isso cairá no esquecimento e todos voltarão a viver suas vidinhas de sempre. O conselho tutelar fingindo de faz seu papel e o judiciário também fingindo que promove justiça. Assim caminha a humanidade. Nada mudará. Crianças continuarão sofrendo maus tratos e continuarão sendo assassinadas.
O sentimento que se apossa de mim é de absoluto desprezo pela hipocrisia, talvez até mais pela crueldade, porque crueldade é visível enquanto a hipocrisia é encoberta.
Nós temos leis de proteção e amparo a menor.
O Estado não tem meios de aplicar a lei e proteger de fato os menores necessitados.
Se realmente tivessem, não haveriam tantos menores abandonados perambulando pelas ruas se drogando e se prostituindo. O Estado finge que isso não existe e o conselho tutelar também finge que isso acontece só em Neverland.
Eu lí uma reportagem no diário do Grande ABC onde uma vizinha, educadora, dizia-se chocada com os destinos dos irmãos. Disse que era comum ouvir sons de castigos físicos e gritos das crianças. O que mais impressiona é que essa vizinha, dizente educadora, mesmo sabendo dos maus tratos jamais fez nada para protegê-las.
Sinceramente, eu no lugar dela teria vergonha de me intitular educadora.
Pois é: Esse é o retrato desse país maravilhoso que emana leite e mel mas que tem um judiciário, executivo e legislativo de doer.


Postado por Aiko e transcrito aqui com autorização da mesma.
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=1417483&tid=5243204244318627057&na=2&nst=38

Nenhum comentário:

Postar um comentário