Seguidores

sábado, 10 de novembro de 2007

Dilma Shigeaki Ueiki Roussef fantasiada de barril de petróleo

O anúncio de que o Brasil pode se tornar exportador de petróleo depois da descoberta de um novo campo de petróleo me fez lembrar o ministro Shigeaki Ueiki que prometeu dançar na praça dos Três Poderes fantasiado de barril de petróleo.
Neste momento a maioria da imprensa continua copiando os textos cedidos pela imprensa oficial e dando grande destaque à descoberta.
Poucos vozes chamam a atenção para o prazo de entrada de operação a plena carga deste campo, que deverá ocorrer provalmente daqui uns dez anos.
Até poderemos aumentar as estimativas atuais ou talvez verificar que a estimativa foi muito otimista.
Torço sinceramente para o governo brasileiro não tenha mais desculpas para o nosso sub-desenvolvimento, no tempo do Shigeaki Ueiki dizia-se que o país era pobre por que importava petróleo, agora, que temos praticamente a auto-suficiência energética nossos governos fazem aposta para ver quem erra mais, quem destrói mais o país.
Esse apagão energético que está ocorrendo, mini-apagão na verdade, mas apagão, poderia ter sido evitado se as autoridade em vez de ficarem jogando a culpa na herança maldita pegassem o limão e o transformassem numa limonada.
O apagão de 2001 foi uma triste lição de como "nunca antes na história DESTE país o governo foi tão imprevidente", mas o atual governo quer ganhar esta aposta também, quer ser mais imprevidente que FHC e seus desmiolados.
Além das atrapalhapadas na área enérgitica continumos subdesenvolvidos, por quase metade do nosso trabalho é sugado pela máquina administrativa que precisa pagar os sanguessugas e o que sobra da sangria tem que fielmente pago aos financistas capitaneados pelo presidente do banco central, sempre fiel aos seus antigos patrões.

Voltando ao titulo do texto, já pensou Shigeaki Ueiki e Dilma Roussef vestidos de barril de petróleo dançando na praça dos Três Poderes.

Um comentário:

  1. Frases de Lula:
    “Essa descoberta de uma reserva excepcional, de um petróleo de qualidade e de muito gás, coloca o Brasil numa situação altamente privilegiada. Logo, logo, o Brasil vai participar da Opep”, afirmou.

    “Cada um pôde mostrar o que está fazendo no seu país, o que está acontecendo no seu país, e eu, obviamente que trabalho com uma certa deferência porque não é sempre que o Brasil pode ser denominado “magnata do petróleo”, “sheik do petróleo””.


    Eu completo a piada, quero ver o Lulla e o Shigeaki Ueiki fantasiados de barril de petróleo na praça dos Três Poderes.

    ResponderExcluir