Seguidores

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Copa 2014, olimpíada 2016, com esta polícia?

Despreparo pode custar a vida do jovem torcedor

O despreparo, por todos os lados, pode custar a vida do jovem torcedor. Vimos um policial empunhando a arma da forma certa, com o dedo fora do gatilho, por cima do guarda-mato.

O dedo só vai ao gatilho, quando há a decisão de atirar. Mas, mesmo empunhando certo, ele a conduzia de forma errada, apontando na direção da nuca de outro PM, e não para baixo.

Na hora do disparo, o sargento, de capacete especial e colete à prova de bala, dava uma coronhada na cabeça do 

"Se houve tiro, é porque havia dedo no gatilho. Instrumento básico para dissolver arruaças é o cassetete", afirma Alexandre Garcia.

O despreparo, por todos os lados, pode custar a vida do jovem torcedor. Vimos um policial empunhando a arma da forma certa, com o dedo fora do gatilho, por cima do guarda-mato. 

O dedo só vai ao gatilho, quando há a decisão de atirar. Mas, mesmo empunhando certo, ele a conduzia de forma errada, apontando na direção da nuca de outro PM, e não para baixo. 

Na hora do disparo, o sargento, de capacete especial e colete à prova de bala, dava uma coronhada na cabeça do torcedor. Se houve o tiro, é porque havia dedo no gatilho da pistola ponto quarenta. 

Como se sabe, o instrumento básico para dissolver arruaças não é a arma de fogo curta, mas o cassetete, que é mais eficaz até, porque impressiona mais pelo tamanho. 

Por outro lado, não havia socorro imediato. Em um jogo de futebol, com torcidas se enfrentando, não havia plantão médico próximo. A vítima ficou sangrando e tendo espasmos na perna. 

O primeiro socorro foi no hospital vizinho, onde nasceu Kaká, o Hospital do Gama, que não tem neurocirurgião, mas que poderia fazer um primeiro exame dos danos no cérebro, com uma tomografia. Mas o tomógrafo do hospital está parado há meses. Quando funcionava, não podia ser usado por falta de técnico. 

O hospital não teve a mesma sorte do estádio: tem 40 anos e nunca foi reformado. Claro que o hospital é mais importante, mas não teve a mesma prioridade do estádio. A diferença aparece nessas horas.

Um comentário:

  1. Daniel Ramos de Oliveira19 de junho de 2010 10:50

    Acredito que o Brasileiro antes de tudo,tem de parar de se preocupar tanto com o Futebol,olha ai esse ano de Copa,e o Brasileiro tá todo sentado na frente da TV vendo o futebol,e se preocupando com a escalação que o Dunga escolheu.Mas quase ninguem está preocupado com os projetos que estão correndo na Câmera de Veradores da sua cidade,na Assembleia Legislativa do seu Estado,no Congresso e no Senado,esse é o problema do Brasileiro,e assim jamais alguma coisa irá melhorar,precisa antes de tudo o POVO MUDAR a sua visão,pra depois as coisas melhorem no nosso país,espero que nesse Eleição com o Ficha Limpa,as coisas sejam diferentes,e quem ganhar sejam politicos conscientes e que não fiquem se preocupando somente com a Copa e com a escalação do Dunga.

    ResponderExcluir