Seguidores

sábado, 19 de janeiro de 2008

Pernambuco cria frente para combater turismo sexual durante o carnaval

No carnaval cresce o turismo sexual

Carnaval: época de festa, exposição de culturas populares e alegria nas ruas. Com o aumento do número de turistas estrangeiros no período, que visitam especialmente as cidades litorâneas do Nordeste, cresce também a preocupação com o turismo sexual. Para tentar barrar essa situação, foi criada em Pernambuco uma frente de instituições públicas para proteger a faixa da população mais vulnerável a esse tipo de exploração: a infância e adolescência.

O estado tem pelo menos dois grandes pólos carnavalescos: Recife e Olinda. O Ministério Público Estadual, a Polícia Militar, Vigilância Sanitária, a Diretoria de Controle Urbano de Recife e a Delegacia da Criança e do Adolescente firmaram acordo na última quarta-feira (9) para desenvolver ações conjuntas durante o feriado.

“Essa questão do turismo sexual ainda acontece muito, tanto em Recife quanto em Olinda, e no período do carnaval existe um agravante, porque temos um fluxo maior de pessoas, e é uma época mais propícia a essa exploração de crianças e adolescentes”, conta a promotora de Defesa da Infância e Adolescência Rosa Carvalheira, do Ministério Público de Pernambuco.

A promotora diz que é comum que as famílias em situação de miséria incentivem as crianças e adolescentes a se colocarem à disposição dos turistas estrangeiros. Segundo ela, esta parcela da população vê na exploração sexual uma forma de “ganhar a vida”, mas atribui a repetição destas situações à fraca responsabilização dos exploradores.

“Existem muitas situações de exploração sexual [de crianças e adolescentes], mas não é muito freqüente a responsabilização criminal dessas pessoas que exploram”.

A idéia de criar a frente de combate surgiu a partir de uma investigação do Ministério Público, na qual foi identificada um ponto específico de Recife que estaria servindo de cenário propício ao turismo sexual: na região (que a promotora não especificou qual é), crianças e adolescentes teriam acesso fácil ao álcool e às drogas – elementos que costumam atrair os visitantes que praticam turismo sexual.

“A Polícia Militar disse que vai haver uma maior quantidade de viaturas e de pessoal para fazer essa fiscalização [no ponto estratégico identificado pela investigação] e vai atuar especificamente na venda de bebidas alcoólicas e na exploração de crianças e adolescentes”.

Agora, a promotora espera que as ações do grupo tornem-se permanentes.

“É claro que, no período de carnaval, a atuação deve ser mais específica para aquele momento, até porque são situações diferentes do dia-a-dia, mas a idéia é de que se tenha uma continuidade nessas ações para que sempre haja um contato estreito entre essas instituições para que haja um maior fluxo de informações e mais rapidamente se possa identificar esses casos de exploração e se punir com eficácia”.

Reportagem de Morillo Carvalho 14/01/2008 06:34:03 da Agência Brasil no Click 21

Nenhum comentário:

Postar um comentário